segunda-feira, 4 de junho de 2012

Comentário sobre o texto: Leitura para pensamento

Clique aqui para ler o texto original

por Elaine Reis

Caro Anderson, como você sempre deu opinião sobre os meus textos, sinto a vontade de dar o meu parecer sobre a sua reflexão.
Cada pessoa sabe o quanto pode pagar por cada serviço prestado, todos têm livre arbítrio, ninguém é obrigado a nada, não é mesmo?
Como dona de empresa, posso dizer que existem valores não implícitos que fazem toda a diferença. É comparar o incomparável!
Um baile executado por uma academia e ou “empresa” séria não tem apenas a visão lúdica de treino de seus alunos, mas também uma possibilidade de entrada de receita para custear as grandes despesas mensais.
A mesma realidade acontece na venda de bebidas e comestíveis. Aqui ainda faço um parêntese, acho que o preço é mais alto destes produtos para compensar os custos de uma cozinha montada, ou manter um copeiro dentro da cozinha já que estamos "carecas" de saber que a venda é praticamente nula em ambientes dançantes.
Engraçado que não vejo esta abstinência de consumo de comida e bebida de pessoas dançantes em casamentos e festas. Ahhhh esqueci, nestes eventos é tudo de graça...!
Talvez eu saiba por que algumas “academias” conseguem cobrar tão barato:
- Algumas nem academias são. Elas se denominam 'associações sem fins lucrativos', para omissão de impostos.
- Algumas “academias” não possuem registro de seus funcionários, não tendo nenhuma despesa trabalhista. Aqui falo de instrutores, secretários, gerentes e até faxineiros.
- Algumas “academias” não pagam ECAD.
- Algumas “academias” não sabem o que é pagar um programa de medicina de trabalho.
- Algumas “academias” não tiram nota fiscal de seus alunos.
- A localização da "academia” influi no valor de IPTU, taxa de publicidade, incêndio, licenciamento, etc.
Poderia continuar a dar mais exemplos, mas este assunto me embrulha o estômago!
Há uma questão sobre a qual eu concordo plenamente com você. Porque os preços são tão diferentes e coloco outra questão; porque algumas “academias” totalmente irregulares equiparam valores com verdadeiras empresas.
Sempre tive a preocupação de bailes especiais e temáticos ter um custo extra com decoração, drinques, música ao vivo e concordo que muitos só cobram e não trazem diferenciais.
Enfim, a liberdade de ir e vir é para todos, mas uma coisa é certa e repito:
- Não dá para comparar o incomparável!
Ah, já ia me esquecendo, não podemos esquecer que apresentação de bolsistas é um grande aprendizado para os mesmos e sem remuneração para os instrutores que passam horas e horas trabalhando. Dizer que eles vendem mesa é uma grande inverdade, até mesmos os alunos atualmente não compram mais lugares extras para convidados. Já se foi o tempo em que isso acontecia... Ai que saudade!
Vale a pena lembrar que um baile de aniversário demora em média de três a quatro meses de preparação e o custo da mesa é mais alto para pagar as horas de trabalho deste período, o que acho muito justo por sinal. Pelo menos na minha empresa é assim. Não esqueçamos que o lazer de muitos é trabalho de alguns e isto não pode ser desvalorizado.
Parabéns pela sua opinião, o debate sempre é importante! Independente de quem esteja certo ou errado, uma reflexão é sempre valida. Aliás, será que nessa vida há apenas uma verdade?
Aproveito este texto para incentivar as pessoas a terem coragem de trabalhar dignamente (e conforme a lei) com a arte e cultura neste país. Em qualquer área de atuação, existem dificuldades, mas, no caso da minha área - dança de salão - o prazer de ver uma pessoa que não sabia nada e a ver dançando após algum tempo de aula... isto não é mensurável, faz bem para alma! E isto é amor!


bhdancadesalao.blogspot.com - 4 anos de muita informação
BH Dança de Salão.com.br - muito sobre a dança de salão de Belo Horizonte
Comunidade Caçadores de Bailes BH (orkut/facebook) - 6 anos de divulgação

2 comentários:

DançaBH 2009 disse...

Faço minhas as palavras da Elaine. Parabens pelo texto!

Anderson Souza disse...

Então Elaine... Fique a vontade para comentar minhas postagens aqui no site, extensivo aos demais leitores.
Não vejo outro professor de dança vir aqui expor sua opinião ou comentar temas que acontecem no mundo da dança de salão. É uma pena.
Alguns eu acredito que não opinam pois, uma opinião pode estar diretamente ligada a uma empresa ou grupo e talvez não seja "possível" separar o profissional do pessoal. Exposição de valores podem gerar conflitos de opiniões e talvez seja por isso que você ainda expõe "sozinha" suas idéias, dificuldades, conquistas aqui no site. Parabéns por assumir seus valores profissionais.

Eu como freqüentador de bailes de dança de salão, as vezes manifesto minhas experiências aqui no site. Sobre a legalidade do empreendimento de cada academia eu só poderia falar com conhecimento de causa. Eu não concordo com a concorrência ilegal e se fosse eu o dono de um negócio como o seu, no mínimo faria uma denuncia.
Fato que aprender dança custa dinheiro, praticar, promover e ensinar dança também custa.
É um negócio e é justo que se pague por ele. Me chamou a atenção a diferença de preços e serviços e por isso compartilhei minha constatação. Mas paga quem quer e cobra-se como quer e cada um com a sua justificativa.
Casamentos e festas normalmente é por conta de quem promove, mas existem sempre pais, tios, avós "legais" que salvam as despesas de algumas festas. O fato do exagero é uma questão individual, muitas vezes de educação e que não acontece somente em festas. Com certeza você já entrou num banheiro publico em sua academia por exemplo. Fazer xixi fora do vaso deve ser o básico; Desperdício de papel entre outras coisas é comum onde não é nossa casa ou onde não temos que nos sentir responsáveis. Infelizmente esse comportamento é muito praticado.

Você deu vários exemplos de custos que muitas pessoas nem imaginam : O ECAD por exemplo que é um roubo. Se paga pelo risco, na ameaça de ter seu evento fiscalizado. Nem 1 centavo desse dinheiro é repassado aos artistas. Da forma como é cobrado é impossível o repasse. Se você paga antes do evento acontecer, eles nem se quer aparecem. Um absurdo. O ECAD garimpa as mídias, redes sociais em busca de "vítimas", o que não é tão diferente de impostos como o IR, ISS, multas de radares etc.

Me chamou a atenção sua afirmação - " Dizer que eles vendem mesa é uma grande inverdade, até mesmos os alunos atualmente não compram mais lugares extras para convidados".
Olha, eu escrevi que baile de aniversario de fulano, baile de aniversario de academia sempre tem apresentação de bolsista, de alunos e que os mesmos sempre trazem mais pagantes ao baile. Se isso é uma grande inverdade pra você eu respeito, porém não concordo.

Recentemente fui a um baile em Contagem de uma academia que completou 1 ano. Tiveram 4 apresentações de bolsistas e alunos. Cerca de 200 pessoas no local e pela quantidade de gente que estava dançando ( muito pouca comparado aos bailes normais ) a maioria era de parentes, amigos e colegas dos bolsistas e alunos que apresentaram.

Aluno apresentando é sinônimo de família, amigos e colegas presentes e eu acho que isso aumenta o volume de pagantes nos bailes, para tanto varias academias alugam espaços maiores, não é mesmo ?

Eu particularmente prefiro freqüentar pouco os bailes de aniversário e bailes temáticos, pois sempre gasta-se muito tempo com apresentações, agradecimentos, são mais caros e mais cheios. Muita gente vai só pra ver apresentação e ao final das mesmas o baile se esvazia rapidamente formando aquela tradicional fila para acertar a cartela de consumo.

Por hoje é isso.

Abraço.

Anderson Souza