quinta-feira, 29 de abril de 2010

Comentário sobre: Comentário sobre bailes

por Igor Marcelo (a pedido)

Devemos agradecer pr toda evolução no mundo dançante de um tempo p/cá.Já se foi o tempo em q a verdadeira moeda da vez era, simples e unicamente, a dança.Apenas se respeitava qm sabia dançar muito bm, e q, assim, só dançava cm qm tbm sabia e, dessa maneira, faziam shows particulares dentro do infinito universo q é o salão sendo qlqr q seja seu tamanho.Hoje em dia,estamos na direção da socialização,entretenimento,diversão,confraternização e saúde através da dança onde ñ há preconceitos, diferenças d cor,classe ou idade.Concordo plenamente q os bailes devem sr democráticos cm relação a tocar todos os ritmos: Bolero,Samba, Soltinho, Forró,Zouk,Tango e Salsa. Realmente ñ entendo o preconceito cm certos ritmos q são menos tocados q outros, mas tudo isso vem d um olhar crítico d um bom DJ p/pista q deve procurar entender q certos ritmos tenham músicas longas e outros, músicas curtas. Cm isso, por q ñ talvez compensar cm uma ou duas musicas a mais,já q assim igualaria em tempo dançado? É triste vr seleções montadas a gosto d DJs e ñ d alunos ou d como o contexto pede.Em relação ao dito marketing é bm relevante.Dentro d um baile devemos entender todas as possibilidades d aprovações q podem acontecer.Talvez sim usar o tempo do baile p/ fazer aulão seja um pouco desgastante p/ qm já dança há um tempo.Mas pr outro lado cm certeza é algo muito bom e estimulante p/ qm está apenas começando.Ñ vejo mal algum as rodas d cassino!Acho bm divertidas por sinal.E p/ qm não gosta, q dance apenas cm seu par,pois afinal d contas ninguém é obrigado a entrar na roda.O tal inusitado pedido de casamento com o consentimento do dono da escola, eu não presenciei pr ñ tr ido ao baile.Mas tenho certeza q foi algo muito bonito e d fato muito corajoso.rsrsr. Aposto q teve aplausos d muita gente.Eu pelo menos iria aplaudir e cumprimentar a pessoa.rsrsr.Fico feliz d vr q donos de escolas tenham relações tão boas cm as pessoas q freqüentam os bailes, sejam alunos,bolsistas ou professores d suas ou d outras escolas.Ñ podemos tr o pensamento tão fechado!Afinal o q há d mais em parar um baile por um breve tempo p/um acontecimento tão nobre?A todo o momento um indivíduo sai d casa cm o intuito d se divertir da maneira q lhe dê prazer.Seja ele fazendo algo q gosta cm uma performance d alto nível ou ñ.Sabemos sim da dificuldade q é d se dançar em ronda em qlqr baile,mas ñ levamos em consideração se a pessoa é iniciante e q por mais difícil q seja podemos sim circular o salão cm toda liberdade já q o salão é um universo infinito onde está sujeito a tudo acontecer.Sou defensor d alunos iniciantes,e aprecio muito quando vejo um salão mesclado cm todos os níveis onde ñ há diferença.Isso traz muita coragem p/um iniciante e vontade d aprender mais e mais,cortando qlqr dificuldade d aprendizado.Realmente o prazer da felicidade acima d tudo é o q um aluno qr!Uma vz eu estava no RJ e escutei JAIME AROXA dizer:A dança é uma forma d arte,pq quando vc dança exerce sua face artística, pois ñ estará sobre seu corpo e sim sobre sua alma celebrando a vida e nela o DNA da felicidade eterna!Vi um garoto aceitar um convite p/dançar d uma senhora e dançar cm todo o prazer e excitação pela dança fazendo apenas o passo básico no lugar.Dava p/vr todo a felicidade q fica marcado no rosto d uma pessoa.Talvez isso sim falte um pouco em BH.Em BH muitas pessoas parecem se importar em oferecer bailes bem organizados,cm DJs, estruturas modernas e etc ,sendo relevantes em alguns lugares é claro!A verdade é q falta em BH pessoas q no meio da dança se importem cm detalhes pequenos em relação à satisfação e ao prazer de seus alunos onde nem sempre saber executar vários movimentos tenha tanta importância.Desde q essa pessoa se satisfaça cm o pouco q tm q pode ser o suficiente p/sua felicidade.Ñ existe aluno ruim ou incapaz d aprender!Existem sim professores‘’picaretas’’q são incapazes d ensinar pr estarem alienados a verem apenas a parte de maior dificuldade d um aluno, esquecendo da facilidade e simplicidade q é d trazer prazer e alegria a uma pessoa.Tbm agradeço Wilson pelo espaço.Igor Marcelo 

BH Dança de Salão.com.br muito sobre a dança de salão de Belo Horizonte

3 comentários:

Fernanda Freitas disse...

Marcelo,

Amei sua fala! Dançar é se sentir livre! A D O R O dar mihas gargalhadas durante a dança. Sou grata a cada parceiro que me chama para dançar e me sinto privilegiada. Não tenho dificuldade em convidar um homem para a dança e se há uma recusa (já aconteceu, rsrs) não me abate, pois não considero como pessoal. As pessoas não são obrigadas a nada...
O que discordo de sua fala é somente quanto aos iniciantes... Não são eles os que normalmente apoderam-se dos salões. Não são eles a esufarem o peito como pombos exibidos... Muito pelo contrário, assim como eu que comecei a pouco na dança de salão, os iniciantes são tímidos. Quando erram não exitam em se desculpar. Quando pisam em outro, sempre sorriem como uma forma de compensar o desagravo. O triste é ver que homens que sabem dançar, alunos antigos, professores, monitores "pegam" suas damas e desrespeitosamente impõem passos que elas não conseguiriam fazer. Como já me senti envergonhada e constrangida quando disse que não sabia dançar direito (academicamente, pois dançar com alma o faço desde sempre, mesmo q seja desajeitada e tenha pouco estética...kkkk) e fui impulsionada a passos que para não cair me firmava no chão e infelizmente algumas vezes coloquei meu salto em pernas alheias...
Sabe, acho que falta apenas que exista um orientação sobre "direção defensiva"(rs) nos salões. Um dia, emuma aula de férias com o Delano, foi dito por ele as mulheres: "Damas, não permitam que os cavalheiros usem vocês", e ele explicou sobre passos de zouk que podem expor a mulher a problemas físicos e a acidentes e que existem homem que simplesmente jogam a dama forçando o passo a acontecer. Não é assim... Sempre recordo esta fala e quando me sinto "usada", forçada a passos não exito em dizer ao parceiro, seja ele quem for: Por favor, seja mais compreensivo comigo, não consigo corresponder a você assim, me sinto forçada".
Já aconteceu desta maneira? Sim! não os perdi como parceiros de dança, muito pelo contrário.
Por outro lado, um dia em um baile que um aluno não iniciante de uma academia pisou e me empurrou por umas 5 vezes (imagina em qtas mulheres e homens ele incomodou!) cheguei perto dele e lhe disse: Puxa! Você precisa ter mais cuidado!!!! Nunca havia conversado com ele. Estava literalmente BRAVA! Passaram 8 meses e em um outro baile fui até sua mesa e o convidei a uma dança. le aceitou. Relembrei o dia do "pito" e agradeci pois voltei a uns 5 bailes onde ele estava depois do tal dia e ele nunca mais me "pisou". Demos gargalhadas e criamos um´contato à partir de então.
Dançar é arte para artistas e é arte de sentimento para os sensíveis.
A verdadeira autonomia acontece quando tomo decisoes entendendo os impactos aos demais e assegurando o bem comum.
Essas questões é que devem ser pensadas.
Quanto a monitores, deixo ainda um recado: Não é durante o baile que você vai provar sua competência para os proprietários da escola.
Seja simples. Só!

Unknown disse...

Ola Fernanda...
Gostei dos pontos que voce colocou sobre cuidados e o termo "direção defensiva" bem como a "aperto de mãos" após sua reclamação.

Bom texto para refletir iniciantes e iniciados e os tradicionais "pavões e peruas"...rss

Pegando carona no link da Fernanda sobre "direção defensiva" - Não vou citar o nome da escola, mas a cerca de 1 ou 2 anos entrei em uma escola de BH para um baile onde pude reparar setas no chão. Eram adesivas e indicavam a direção anti horária. Achei interessante a iniciativa, porém ao tentar saber sobre a intenção das mesmas, fui informado de que elas estavam ali por coincidência. Pertenciam a atividade anterior do local.

É isso.. rsss

Parabens Fernanda por ajudar a sensibilizar os leitores.

Valéria disse...

Igor, parabéns pelos comentários!
A gente, sabendo dançar bem ou não, dança com a alma!
Eu,assim como a Fernanda, também agradeço a todos os meus parceiros e principalmente aqueles que são cavalheiros!
E viva o prazer de dançar e fazer bons amigos nos bailes da vida!