quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Comentário sobre o texto: Relato enviado por e-mail à academia



Texto original : Texto: Relato enviado por e-mail à academia

por Professor de dança de salão

N.P.: O texto original está na cor preta em italico. O comentário está na cor vermelha.

Caro diretores,
Começo com a frase: apreender a dançar para quê?


Pra você se sentir bem com você mesma, pra você redescobrir seu corpo com ritmo, consciência, liberdade, expressão e acima de tudo com VIDA! Pra você conhecer pessoas, encontrar amigos e quem sabe um par na vida também. Pra você agradecer a Deus a inteligência no aprendizado, o dom de dançar, pra você agradecer a visão, o tato, o olfato... Pra você aprender ser criativa, sensual. Pra você redescobrir o feminino e a delícia de ser uma boa dama sem depender de um cavalheiro pra isso acontecer. Pra você sonhar com coreografias, se divertir em bailes e levar pra vida um pouco mais de alegria. Ou até mesmo pra você descobrir que dançar não é sua praia.

Se vocês me disserem que aprendo para fazer um social, me divertir e exercitar nas aulas, fugir da minha rotina maçante, ter consciência do meu corpo, equilíbrio e postura ou até mesmo interpretar o corpo do parceiro em vez de ser arrastada por eles, concordo plenamente. Mas na realidade quando entramos em uma academia de dança a nossa principal intenção é dançar em bailes e isto não acontece.

E eu discordo da afirmação. Muitas pessoas procuram a dança como atividade física e desestressante. Muitas mulheres ligam na escola e falam que quer é emagrecer e eu digo que o que emagrece é reeducação alimentar, regime ou até mesmo tratamento médico. É grande o número de alunos que não freqüentam bailes. Adoram fazer aulas, ir à academia aprender e depois seguir a vida. Tenho uma aluna que é apaixonada pela dança mas por motivos pessoais, nunca foi a baile! O objetivo de cada um com a dança é particular. A gente não pode generalizar. Eu mesmo entrei pra dança por recomendação médica, pra me livrar do stress causado pelo trabalho e acabei virando professor.

Como já tenho mais tempo de academia vejo o esforço em vão de vocês quando pedem os bolsistas para dançarem conosco e a má vontade com que executam esta tarefa e o encantamento quando estão dançando entre si. Por sua vez a maioria dos alunos está acompanhada e os outros dançarinos não tem muito interesse em dançar se já sabem que não vão conseguir segundas intenções.

Eu já penso que o problema está em cada um e na maneira como as pessoas se relacionam socialmente. O mundo hoje esta com as emoções em desarmonia. As pessoas não sabem mais fazer amizades e os valores estão cada vez mais individuais. Isso faz com que elas escolham com muito rigor como irão se envolver com os outros. Já o  Bolsista está lá pra ser o par daquele aluno ou aluna que foi à academia sozinho e pra aprender a dançar também. A outra "obrigação" dele seria dançar com alunas em baile, caso haja oportunidade.

Ir sozinho fazer aula numa academia onde se aprende a dançar a dois pode não ser a melhor opção, uma vez que o(a) aluno(a) estará sujeito(a) a dançar com o estorvo de bolsista que faz cara feia. Bolsista não é funcionario da escola remunerado. É dificil ter 100% de autoridade sobre ele. Não sei porque uma pessoa não consegue convidar alguém para lhe fazer cia para uma visita a uma aula de dança. Varias vezes sugeri para futuras alunas convidar alguém, quando essa reclama que é “sozinha”. Eu sempre digo: convide alguém! Irmão, primo, amigo, colega de serviço, pai, tio, conhecido tímido, amigo gay... Não é possível que uma pessoa não tenha nenhuma dessas opções por perto! Talvez realmente não tenha, mas.......

O Bolsista ás vezes faz raiva no aluno, assim como faz raiva na administração da escola, mas penso que um baile deveria ser o momento para o(a) aluno(a) sejogar! Um momento pra ir atrás de um desconhecido ou desconhecida e colocar em prova o investimento pessoal. Concordo muito com o texto da Fernanda sobre tecer teias.

Acho que os verdadeiros pés de valsa estão em extinção.

Sim, estão. Assim como as verdadeiras damas. Mas porquê ao invés da gente sair levantando essa bandeira, a gente não desperta cada um para o aprendizado saudável e edificador?

Tive a esperança de ir a uns bailes de outras empresas para ver se conseguia dançar. Foi pior. Descobri que os bolsistas de outras escolas nem olham para sua cara, em algumas, chegou o professor responsável pelo estabelecimento me chamou para dançar e no meio da música já estava fazendo propaganda para mudar de escola, sem ética nenhuma.

É natural que você não seja “a escolhida”, afinal de contas, os bolsistas já estão familiarizados com a prata da casa. É uma falha sim não receber você bem, mas a gente também tem que se fazer perceber. Procure saber quem é o dono da academia, diga que você é visitante e queria conhecer o pessoal da escola e dançar. Com bolsista ou com aluno, não importa. No corre-corre da organização sempre escapa um deslize, mas a gente tem de levar a vida numa boa, pra que o baile não seja um tiro no pé.

Lógico que não tenho conhecimento de todos os ritmos, mas em alguns já não faço feio.
Já li a cartilha do chá de cadeira, melhorou um pouquinho, mas muito aquém dos meus sonhos.


Aquém dos seus sonhos? Por acaso você não estaria com espectativas demais? De repente mudando o foco as coisas comecem a acontecer diferente. É muito fácil reclamar. Difícil é a gente reconhecer erros e mudar de postura pra ver se a vida se transforma. Mesmo que você não saiba todos os ritmos, com certeza você deve saber conversar. Aproveite a salsa ou o zouk que você não sabe dançar, pra ver as pessoas dançando, conhecer gente, conversar, retocar a maquiagem, comer ou beber alguma coisa na Cia de alguém que você tenha encontrado durante o baile. O Baile é pra dançar mas não é somente pra isso. Aprendi muito quando um amigo me disse: "Nunca espere nada de ninguém". O tempo passou e percebo certa coerência na fala dele.

Alguns de vocês podem pensar: "por que ela não arruma um namorado?" Já tentei a maioria era pé duro e dispensei.

Você quer um namorado ou um par na dança? Namorar alguém que não dança às vezes é legal. Pé duro!?? Você mesma disse acima “Lógico que não tenho conhecimento de todos os ritmos”. Essa frase me faz pensar que você se atrapalha em alguns. Pés duros normalmente se atrapalham na dança. E de repente, fazer um namorado “pé duro” pelo menos ter interesse em aprender é ponto marcado a favor. Muito preconceituoso esse seu comentário. Tanta gente procurando alguém legal pra namorar e você dispensando só porque a pessoa é um “pé duro”.

Caríssimos, eu só quero dançar e ponto.
Será?

Percebo que muitas mulheres queriam mandar este depoimento, mas não tiveram coragem. Somos responsáveis por uma porcentagem alta no que se refere à aula particular, fazemos diferença para a empresa.

Quem faz diferença é aluno bacana, que curte dançar sem reservas. Que faz amigos, que sorri, se interage, que acrescenta positivamente sugestões e críticas. Que assina seu nome na pista de dança mostrando que aprendeu direitinho e que valoriza o produto oferecido a ele, assim como valoriza com o próprio esforço, o dinheiro que investido para seu próprio bem. Me orgulho muito quando vejo alunos interessados e que valorizam a dança.Como arte e como profissão. É muito gratificante. Dá uma sensação de missão cumprida. É lógico que esse resultado é muito mais conquista do aluno do que do professor. Professor é somente a mão amiga.

Por favor, me dê uma solução?

Tente enxergar o mundo com outros olhos. Reflita bastante qual é o seu verdadeiro objetivo com a dança. Faça terapia, converse com amigos que você confie, leia muito, corra atrás e dance! Dance muito! As soluções para nossas aflições estão dentro da gente. Um ou outro profissional poderá talvez lhe acender a vela, mas quem segue iluminando o caminho é você. O cordão umbilical é cortado tão logo nascemos. Daí pra frente a parceria é com Deus ou com qualquer "Força maior" que valha.

Fica aqui um ditado que gosto muito. "Quem quer dá um jeito. Quem não quer, dá uma desculpa"

Aluna da Academia Pé de Valsa.

Professor de Dança de Salão

BH Dança de Salão.com.br muito sobre a dança de salão de Belo Horizonte

4 comentários:

Unknown disse...

Achei muito pertinente as colocações.. parabens ! Porém está se criando uma cultura no blog do Wilson de pessoas ocultas !

Acho mais interessante assumir nossos erros e acertos, na sociedade, no baile, na vida...

É isso !

Anônimo disse...

As colocações do professor sao perminentes sim, mas muito me estranha é a proprietaria detonar a propria equipe de trabalho, publicando este texto!
Bolsista geralmente sao pessoas que tem um trabalho fixo, ralam o dia todo e ainda anoite vao para as academias dançar por prazer e para aprender, sem ganhar um tostao, numa "troca"(trabalho e aprendizado), estas pessoas ralam e se dedicam, vestem a camisa da escola.
Mas parece que a dona desta academia de dança nao da valor para sua equipe!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Faço das palavras deste professor de dança, "Ipsis litteris", as minhas!!! Parabéns! Realmente você conseguiu descrever a verdadeira emoçao da pessoa que ama a dança de salao! Além de pontuar corretamente, com toda classe e educação, todos os comentários infelizes da aluna, que ainda não descobriu, que a resposta de suas carências e angústias não depende dos outros e só dela mesma!
ALUNA, faça a teia!!! Com certeza, sua forma de ver a vida e a "dança" será bem melhor!!! Não dependa dos bolsistas, seja independente, dê valor aos alunos, cavalheiros, que estão à sua disposição nos bailes. E faça terapia, porque homem perfeito, só JESUS CRISTO e nem ele agradou a todo mundo!
DONA DA ACADEMIA, Dê valor a sua equipe, porque dentre tantas escolas, estes bolsistas escolheram vocês, seja pela competência, admiração, amor à dança e a academia. E, da mesma forma que vocês proporcionam aprendizado a eles, o retorno deste é imediato. Eles representam a academia, nas apresentações internas e externas, visivelmente, felizes e emocionados. Esta hora é o mundo perfeito deles!É possível, que em algumas ocasiões, o maior ganho seja da academia, porque é um amor incondicional, sem depender de qualquer remuneração, só pelo amor a dança e as pessoas que representam essa, para eles, ou seja, a escola que escolheram!!!!

Professor de Dança de Salão disse...

Pessoal, penso que vocês não entenderam. Quando disse " dançar com o estorvo de bolsista que faz cara feia.", eu não quis dizer que o(a) dono(a) da academia chama o bolsista disso e sim ao comentário "reclamão" da aluna sobre o bolsista não dançar com ela. Numa oportunidade breve mandarei um texto sobre bolsista.